Novo Tarifario 20173 Serviços Br  (1)

GRU Airport Cargo está capacitado para movimentar com segurança, agilidade e eficiência os produtos mais complexos importados por via aérea, como os dos segmentos de tecnologia, automotivo, metalomecânico, aeronáutico, farmacêutico, químico e do comércio atacadista em geral.

Fluxograma de exportação

Em Construcao

ETAPAS DO PROCESSO DE EXPORTAÇÃO

Preparação da documentação

O exportador ou seu agente de carga deve contratar o transportador aéreo de sua preferência, antes da entrega da carga no TECA. O recebimento é efetuado sempre mediante a apresentação do conhecimento aéreo (AWB) ou documento equivalente, e da declaração de exportação.

Procedimento para agendamento na Exportação

Para realizar um agendamento de Exportação é necessário que o cliente realize o pré-cadastro da carga.

Após realizado o pré-cadastro, o exportador pode realizar o agendamento ou indicar a transportadora que realizará o agendamento.

  • Apresentação no Estacionamento

A transportadora deve apresentar-se no estacionamento com 30 minutos de antecedência para apresentar os documentos para a equipe GRU realizar o check in do veículo;

Caso haja atraso superior a 15 minutos, o agendamento poderá ser cancelado e o cliente deverá realizar um novo agendamento. 

  • Documentos para realização de check in no estacionamento de GRU

A transportadora deverá apresentar uma via de Conhecimento Aéreo e as Notas Fiscais que pertencem ao embarque.

Para clientes que não emitem Nota Fiscal, a transportadora deverá apresentar somente a via de Conhecimento Aéreo.

  • Alteração de informações do agendamento

O exportador ou a transportadora poderão alterar os dados do agendamento (número de placa do veículo, Nome e CNH do motorista) até o instante de apresentação no estacionamento para realização de check in, observando sempre o horário do agendamento.

É importante que o agendamento seja realizado somente após a confirmação do veículo e motorista que irão realizar o transporte da carga pois o sistema irá solicitar que o usuário selecione um novo horário de agendamento sempre que houver uma alteração.

  • Alteração de informações do agendamento após realização de check in do veículono estacionamento de veículos

O sistema não irá permitir a alteração de dados do agendamento (número de placa do veículo, nome e CNH do motorista) após a realização de check in do veículo no estacionamento.

Caso seja necessário realizar alterações de dados, o agendamento deverá ser cancelado e um novo agendamento deverá ser realizado.

  • Inclusão de veículos para transporte de cargas já agendadas

O sistema não irá permitir a inclusão de veículos para agendamentos já realizados.

Caso seja necessário realizar o transporte da carga em mais de um veículo, o agendamento deverá ser cancelado e um novo agendamento deverá ser realizado.

  • Alteração de informações da carga já agendada

O sistema não irá permitir a alteração de dados de cargas (HAWB, peso, volume) para agendamentos já realizados.

Caso seja necessário realizar este tipo de alteração, o agendamento e o pré-cadastro deverão ser cancelados para correção. Um novo pré-cadastro e agendamento deverão ser realizados.

Recebimento da carga

Mediante a apresentação do conhecimento aéreo ou documento equivalente, o TECA GRU efetua a verificação física da carga: confere as etiquetas de identificação do lote, tipo de embalagem, volumes, aferição do peso e identificação de possíveis avarias.

De acordo com o tipo de embalagem/cubagem, as cargas a serem exportadas são agrupadas em estrados, pesadas e embaladas com filme plástico (stretch).

Recebimento de cargas perecíveis, animais vivos e cargas especiais ou perigosas

As cargas perecíveis e/ou vivas são recebidas pelo TECA GRU somente após a confirmação de embarque. Nos casos em que o recebimento dessas cargas demande o uso de equipamentos especiais, estes devem ser providenciados junto à companhia aérea antecipadamente. Essas cargas poderão ser objeto de inspeção pelos órgãos anuentes: Ministérios da Agricultura e da Saúde, IBAMA, Comissão Nacional de Energia Nuclear, entre outros, antes do desembaraço pela Receita Federal.

As cargas perigosas devem estar acondicionadas em embalagens padronizadas pela IATA, acompanhadas do Certificado de Mercadorias Perigosas (Shipper’s Declaration).

Após a verificação física e documental, as informações são inseridas no sistema do TECA GRU, que emite uma etiqueta com código de barras, e permite, assim, seu armazenamento e rastreabilidade.

Presença de carga

Logo após o recebimento da carga é efetuado o registro de Presença de Carga no sistema Siscomex com base na numeração da DDE/DSE. Com a Presença de Carga registrada, o exportador ou seu representante legal deve, então, proceder aos trâmites para o desembaraço da carga junto à Receita Federal.

Armazenagem da carga

Depois de cumpridas as etapas de recebimento, a carga é direcionada para armazenamento no TECA em um dos setores de armazenagem, seguindo critérios como: peso, cubagem, tipo de embalagem ou natureza da carga. Permanece armazenada, à disposição da companhia aérea, até que ocorra sua solicitação de “puxe”, ou, ainda, à disposição da Receita Federal para conferência aduaneira.

Parametrização

Para que ocorra o desembaraço da carga e sua consequente autorização para embarque, o exportador deve apresentar a documentação (AWB/HAWB, nota fiscal, RE, DSE, entre outros) ao agente da Receita Federal, que analisará o processo, conforme destinado por meio da parametrização, a um dos canais de verificação, conforme segue:

  • Canal verde - a carga é desembaraçada sem nenhuma conferência;
  • Canal laranja - o desembaraço apenas pode ser obtido após a conferência documental;
  • Canal vermelho - o desembaraço apenas pode ser obtido após a conferência física e documental da mercadoria.

Expedição

O TECA GRU entrega a carga à companhia aérea ou transportador rodoviário, para que seja providenciada a paletização, após a apresentação dos seguintes documentos pelo transportador:

  • Manifesto de Carga (relação das cargas), com seus respectivos conhecimentos aéreos (MAWB/HAWB);
  • Comprovação de liberação realizada pela Receita Federal, quando liberado fora do sistema Siscomex;

O TECA GRU, após analisar a documentação apresentada, juntamente com a confirmação do pagamento das tarifas devidas, realiza a confirmação por meio de consulta ao sistema Siscomex e disponibiliza a carga para embarque.

Acondicionamento em equipamentos aeronáuticos – paletização

A paletização da carga é realizada de acordo com a supervisão e orientação do agente da companhia aérea. Todos os equipamentos são pesados na saída, antes do embarque, para balanceamento e segurança do voo. O processo de paletização pode ser realizado pelo TECA GRU, companhia aérea ou empresas por ela contratadas.

Serviço de rampa (handling)

O serviço de movimentação dos equipamentos aeronáuticos do TECA para a pista e o carregamento da aeronave é efetuado diretamente pela companhia aérea ou empresas auxiliares contratadas.

Confirmação de embarque

Após a confirmação do embarque da carga no sistema Siscomex, o transportador envia eletronicamente os dados do embarque para o Sistema de Informações do Banco Central - SISBACEN, subsidiando a emissão do Comprovante de Exportação - CE.

PROCESSO DE IMPORTAÇÃO

Gru Exportacao

O GRU Airport Cargo é responsável pelo maior volume brasileiro de exportações por via aérea, conectando o Brasil com 34 países. Além disso, é um corredor de passagem da carga exportada, com processamento diário de pallets aeronáuticos, assegurando agilidade e segurança no processo de exportação.

Saiba mais

PUBLICIDADE

ARMAZENAGEM

Gru Armazenamento3

A carga destinada para armazenamento no Terminal de Cargas do GRU Airport segue critérios como peso, cubagem, tipo de embalagem, restrições fitossanitárias ou natureza da carga, tanto na importação quanto na exportação.

Saiba mais

CONDIÇÕES DE USO DO TERMINAL DE CARGAS EXPORTAÇÃO